• Imprensa

Como o bem-estar mental é essencial para uma vida saudável?

Publicado no site Netshoes/Blog - Bem-Estar, 05.05.22



Embora negligenciado muitas vezes, o bem-estar mental é, sim, parte essencial para uma vida saudável. A definição de saúde da OMS (Organização Mundial da Saúde) é “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas ausência de doença ou enfermidade”. Depois de 2 anos de pandemia, o que muita gente se pergunta é: como ter bem-estar mental?


“A gente tem que encarar que a vida segue. Tem que cuidar da alimentação, ser mais saudável no que ingere. Tem que fazer exercício o máximo possível, quanto mais vezes na semana, melhor, e, de preferência, uma coisa que você goste para ter prazer fazendo e não se sentir torturado diariamente”, diz a psicóloga Marina Vasconcellos.


De acordo com a profissional, a liberação de hormônios do bem-estar e do prazer que acontece com a prática de atividade física é essencial para melhorar a saúde mental. “Em especial o exercício aeróbico que libera voluntariamente endorfina, serotonina, dopamina… e você descarrega a tensão. As pessoas que mantiveram o exercício, mesmo trancadas em casa, tiveram muito mais qualidade de vida e saúde mental do que aquelas que se fecharam completamente”, fala. Além disso, o exercício ativa a circulação sanguínea, melhora os músculos e dá força muscular.


Segundo a terapeuta, a meditação também é uma boa maneira de ajudar a aliviar a tensão e a ansiedade, ter mais força, aumentar o foco e acalmar a mente. “Praticar meditação todos os dias, que seja 10 minutos, ajuda na plasticidade cerebral. O funcionamento do cérebro melhora, já está comprovado cientificamente”, afirma.


A lista de dicas para ter mais bem-estar mental segue. “Também é bom cuidar da espiritualidade, buscar alguma coisa que faça sentido para você. Estar com pessoas também é fundamental para a saúde do ser humano. Chega de viver isolado e, de preferência, alimente vínculos positivos. Tenha também hábitos saudáveis. E ocupe o tempo com coisas positivas. A gente tem que descobrir formas de viver a vida com leveza”, ensina a psicóloga.


Depois de um período tão complicado para o mundo todo, a maioria das pessoas está mais fragilizada. “O bem-estar mental das pessoas foi afetado por causa do isolamento, da falta de contato com as pessoas, do medo da morte, da doença, do desconhecido. As pessoas pararam de fazer as atividades que faziam, trabalhos foram perdidos, comércios foram fechados. As pessoas perderam o ganha-pão, passaram necessidade, não viram mais os amigos e os familiares. Tudo isso recai no bem-estar mental das pessoas. A ansiedade cresceu, a depressão aumentou, muitas doenças mentais foram agravadas por causa dessa tensão toda da pandemia”, explica.


A dica para quem não está se sentindo bem é procurar ajuda profissional de um psicólogo que poderá encaminhar, caso necessário, para um psiquiatra que, após avaliação, pode até entrar com tratamento medicamentoso.


“A hora de procurar um profissional é quando você percebe que a sua vida não está boa, você não está feliz, tem algo incomodando e você não está conseguindo lidar com isso sozinho”, conta. Os sintomas de que algo não está bem podem aparecer pelo corpo, por exemplo. “O corpo fala quando a gente não consegue lidar com as emoções e começa a apresentar um monte de problema, como dor de cabeça, dor de estômago, dor na coluna etc.”, finaliza.