• Imprensa

4 passos para fazer novas amizades

Publicado em Boa Forma/Abril, 18.02.21 Por: Amanda Ventorin

Existe um ditado que diz “quem tem um amigo, tem tudo”. Com toda certeza, a sensação de saber que nos momentos bons ou ruins alguém vai estar ali por você, uma pessoa que você pode rir junto, contar suas angustias e sonhos é algo reconfortante (e necessário!). Mas nem sempre fazer uma nova amizade é fácil por diversos fatores, como a timidez, falta de oportunidades ou por acreditar que não se está muito bem sozinho. “O ser humano é um ser social, ninguém vai viver e ser feliz se não tiver amigo, se não tiver alguém, se estiver sozinho. Por mais que esteja bem consigo. Chega uma hora que isso vai pesar e a pessoa vai sentir falta de pessoas.” comenta a psicóloga Marina Vasconcellos. Confira a seguir dicas sobre como fazer novas amizades!


1. TRABALHE A TIMIDEZ

Nem sempre começar uma conversa com um desconhecido é confortável e muitas pessoas se deixam levar pelo medo nesses momentos. Segundo  pesquisas recentes da Organização Mundial da Saúde – OMS, falar público e/ou com pessoas desconhecidas é o maior medo da humanidade.  “Esse sentimento é uma resposta fisiológica de defesa do organismo humano. Sentir medo é instintivo e protetivo, sempre que sentimos um risco real ou imaginado (como a ansiedade). É exatamente nesse momento que a timidez é desencadeada.” completa a psicóloga Thaís Alvares Linhares. 


O método FORD (Família, Ocupação, Recreação, Desejos) traz tópicos de conversa para ajudar pessoas tímidas.


Recomendo que aquele que nota ser tímido, inicie um processo de autoconhecimento”, continua Thaís. Ou seja, busque primeiro se conhecer antes de cultivar novas amizades. Aprenda seus limites, sentimentos e emoções, assim o medo da opinião ou rejeição alheia não o impedirá de construir novos vínculos.


A profissional ainda indica o método FORD para ajudar as pessoas tímidas:


F (família): quando encontrar alguém conhecido, pergunte sobre sua família ou um amigo caso tenham em comum. Família é sem dúvida alguma um dos assuntos que estão em evidência na vida de todos nós, então pergunte sobre a família desse conhecido criando empatia e conforto, descontraindo e manejando o medo, até que sinta-se confortável e possa falar também sobre sua família e de você.  


O (ocupação): aqui sugere-se que você fale sobre o que você faz. Fale sobre o que ocupa a seu tempo e sua atenção e principalmente sobre o que você domina, aqui entram todos os temas: livros, filmes, empregos, músicas… 


R (recreação): o assunto aqui vai do que você gosta de fazer a tudo o que já fez ou que gostaria de fazer. No tópico recreação coloque em prática momentos de lazer, diversão, projetos de vida, hobbies. Aqui o assunto é livre desde que leve e prazeroso. Se o outro for um conhecido, traga situações que viveram juntos.  


D (desejos): é inato em nossa natureza humana, somos seres desejantes. Desejamos que chova  quando está muito quente e que faça sol nas férias de verão. Desejamos que as férias durem mais, que mais, que possamos viajar mais, iniciar uma nova atividade ou até mudar a vida radicalmente. Fale e pergunte ao outro sobre os seus desejos. Esse tópico é altamente recomendado aqueles  que buscam relações amorosas.


Inicie a conversa através de perguntas que permitam que o outro fale, até você se sentir à vontade para contar de você também.


Lembrando que o tímido tem dificuldade em se expressar e não em perguntar, dessa forma, o indivíduo que sofre de timidez pode e deve iniciar uma conversa através de perguntas sutis que estimulem o o outro a falar até que ele mesmo se sinta habituado e confortável para também conversar. O medo é uma resposta fisiológica momentânea a partir de gatilhos, se o seu medo é iniciar uma conversa ou falar com alguém,  enquanto o faz e nota que não há uma ameaça real o seu corpo entende que você está seguro  para responder.  


2. PROCURE INTERESSES EM COMUM

Encontrar novos amigos é mais ou menos como encontrar alguém para namorar. Quanto mais você se conhece e sabe o tipo de amizade que está procurando, menos se frustra e encontra pessoas que deem “match com seu jeito. Por isso, uma boa dica é fazer uma lista daquilo que você procura em uma amizade. Por exemplo, se você for uma pessoa aventureira, procure alguém que compartilhe do mesmo interesse que o seu, assim, a introdução pode ser mais fácil e já terá um assunto para conversar.


Faça uma lista daquilo que você procura em uma amizade


E fica um pouco mais fácil caso você desenvolva um hobbie. Sempre quis aprender a cozinhas pratos mais elaborados? Que tal se inscrever em um curso de culinária para, além de expandir seus horizontes, poder também desenvolver uma bela amizade com pessoas novas?


Mas lembre-se que nem sempre algo em comum é o bastante. “Os amigos são a família que escolhemos para que possamos confiar nossas dores, tristezas e angústias com a certeza do acolhimento e suporte necessários, o pré-requisito básico para um amigo é: sentir-se confortável com ele e confiar incondicionalmente. Qualquer relação que custe sua saúde mental é nociva“, alerta Thaís.


3. MANTENHA O DIÁLOGO AGRADÁVEL PARA AMBAS AS PARTE

Assim que encontrar uma pessoa legal, seja no trabalho, festa ou qualquer outro evento, demonstre interesse por conhecer ela da mesma maneira que quer que ela te conheça. “Escute o outro, seja humilde. Fale de você na mesma medida que você escuta sobre o outro, é importante ser recíproco” diz Marina. Muitas vezes podemos nos empolgar em contar coisas interessantes sobre nossa vida e isso é normal, mas não se esqueça que o outro pode se sentir da mesma maneira.


Caso você se proponha a chamar a pessoa para sair e em três vezes seguidas ela se negar, parta para outra amizade


E fique ligado! Caso você se proponha a chamar a pessoa para sair e em três vezes seguidas ela se negar, parta para outra amizade. Pois talvez ela não esteja tão afim assim de estreitar o contato.


4. CULTIVE O VÍNCULO

Lembra que quanto mais você se conhece, melhor é sua relação com você mesmo e consequentemente com o outro? Bem, lidar com uma “recém amizade” e transformá-la em constante funciona da mesma forma. “Esteja presente na vida de seu amigo, tenha  interessa por sua vida e demonstre que está ali. Aprendemos com a pandemia que proximidade física não é determinante para a afetiva e muito menos para a construção de uma relação”, diz Thaís.


Não fique cobrando contato mas perceba se a pessoa se importa com você


E o mais importante, saiba que cada um tem seu tempo e necessita de seu espaço pessoal “Não fique cobrando contato, mas perceba se a pessoa se importa com você, tenha a liberdade de falar quando precisa. Entenda e respeite os momentos em que o outro não estará disponível. Não compare ou queira exclusividade. Uma pessoa pode ter vários amigos. Respeite o tempo do outro e a amizade acontecerá naturalmente”, aconselha Marina.


Em uma amizade não há espaço para cobranças, apenas parceria, liberdade, respeito, paciência, aprender a dar limites (e receber também) empatia e consideração.



+55 [11] 97416-1008
Rua Cardoso de Almeida, 788 – Conj. 53
Perdizes - São Paulo, SP - 05013-001

Marina Vasconcellos

Psicologia - Perdizes, São Paulo/SP
  • facebook-marina.vasconcellos.psicoterapeuta
  • linkedin-marina-vasconcellos